Santarém

“Santarém é  um livro de pedra em que a mais interessante das nossas crónicas está escrita”

Almeida Garrett

"Várias lendas rodeiam a fundação e o nome da cidade de Santarém. A mais antiga tem origem em Abidis, fruto dos amores de Ulisses e Calipso. Segundo esse mito, Ulisses aportou à foz do Tejo em 1215 a.C. e ali descansou antes de regressar a Ítaca. Foi então que conheceu Calipso, filha de Gárgoris, rei dos Cunetas e príncipe da Lusitânia, e desses amores nasceu Abidis.

Furioso, Gárgoris perseguiu Ulisses, que fugiu.

Quanto ao neto, Gárgoris deitou-o ao rio dentro de um cesto. Levado pela corrente, o cesto foi parar à praia de Santarém, onde uma corça o encontrou e amamentou Abidis.

Aos vinte anos de idade, Abidis foi descoberto pela mãe, Calipso. O rei Gárgoris, impressionado pela extraordinária odisseia do neto, reconheceu-o como seu sucessor e legítimo herdeiro do trono.

Em homenagem ao lugar onde tinha passado tantos anos da sua vida, Abidis fundou ali uma cidade, a que deu o nome de Esca-Abidis (o manjar de Abidis) e a que os Romanos chamaram mais tarde Scalabis.

É do nome romano de Santarém que deriva o dos seus habitantes – escalabitanos.

 

Quanto ao actual nome da cidade, tem origem na lenda de Santa Iria (ou Irene).

Santa Iria era uma jovem virgem de origem visigótica que foi violada e marterizada em Tomar, depois atirada ao rio Nabão.

Algum tempo depois, o seu corpo, completamente preservado, foi encontrado nas areias do Tejo, junto a Santarém.

Em sua honra, o nome romano Scalabis da cidade foi mudado para Sancta Irene, tendo depois evoluído para ”Santarém”."

Dulce Rodrigues

 

Santarém foi conquistada aos Mouros por Dom Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal. O período de domínio muçulmano terminou a 15 de Março de 1147 com a conquista do castelo pelo rei português.

00351-914772096

gotiksenses@gmail.com

RNAAT nº245/2019

©2019 by Gotik Senses.